A iconoclastia e as artes

ico e as artes
Arte é tudo aquilo que mistura técnica com inspiração. Tudo. Então dirigir um carro é uma arte, porque você escolhe como guiar, mas precisa respeitar algumas ordens. O mesmo serve para uma prostituta profissional. Ela usa suas técnicas de sedução, junto ao que ela cria ao vivo. Então, prostituição é uma arte.

Quase tudo que o ser humano faz com certa regularidade é arte

Fechar tampinhas numa fábrica é arte? NÃO, porque não usa inspiração nenhuma. Até mesmo algumas coisas artísticas podem deixar de ser arte quando seus criadores apenas se repetem e não inovam mais. Um artista que não cria, não inova, não faz mais arte. E como isso se encaixa em muitos artistas engessados.

Algumas artes ficaram conhecidas como sendo as principais, em virtude de sua função primordial. Elas foram colocadas na ordem em que surgiram, da mais essencial a mais complexa. São elas
Música (som)
Dança/Coreografia (movimento) – Antes de sermos sapiens a gente já cantava e já dançava, ou seja, cantar e dançar eram anteriores ao ser humano
Pintura (cor) – O Neandertal também desenhava, mas não sabemos se pintava
Escultura (volume);
Teatro (representação);
Arte – Literatura (palavra);
Cinema. O cinema é a última das artes clássicas, ele mistura os elementos das outras artes. Quase todas as artes que foram classificadas após o cinema fizeram essa mistura.

Mas qual a relação entre arte e iconoclastia?

Bem, falar de arte merece livros e não uma postagem bagaceira dessas, mas em resumo, a arte é feita a partir de idéias que se repetem na mente e a gente põe pra fora pra conseguir entender o que essa repetição de idéias significa. Quase uma ruminação.

A gente quando não consegue digerir alguma coisa o que faz? Rumina ou vomita. Mesma coisa com o ser humano, que sente alguma repetição de idéias e acaba devolvendo isso ao ambiente.
É como uma auto-análise. E aí entra a iconoclastia.

Da mesma forma, a iconoclastia sente que está havendo uma repetição. Incomoda-se com aquilo e vomita pra ver o que foi que engoliu. Pra entender. Quando um discurso chega a gente não sente. Mas quando ele incomoda, o iconoclasta diz: PERAÍ! E daí começa a analisar.

Obviamente, quem está empurrando essas idéias goela abaixo não curte muito esse tipo de questionamento, porque dificulta o seu trabalho de engordar o peru que ele vai comer na ceia. O artista e o iconoclasta são o peru que se recusa a engordar.

O que o poder faz para evitar que o povo tenha essa crítica? Primeiro, tenta se apossar das suas armas, que são a crítica dos artistas e iconoclastas. Teatro questiona, mas novela (no sentido Soap Opera, novela brasileira) conduz os questionamentos para regiões inofensivas. Não que o povo tenha menos críticas, mas que suas críticas sejam pueris.

Mas o povo não deixa nunca de ter crítica, ela não pára nunca. Mas seria um perigo se essa corrida fosse autônoma do povo, é preciso CONDUZIR, orquestrar, dirigir esse povo para que desvie dos obstáculos da dominação.

E a dominação, enquanto é “dirigir”, é que nem o motorista. Ela faz arte. Dominar é um tipo de arte.

O que você acha disso?

comentários

Compartilha