Sobre os pastores fodedores e a mentira da castidade

Pessoal, vocês querem saber por que a Iconoclastia não serve para a manutenção do sistema?

Porque ela INSISTE em mostrar a verdade tal como ela é, sem cortinas de fumaça nem delírios que distorcem a realidade.

No episódio de hoje, começaremos com um PASTOR (Alvaro Gomez Torres), em pleno CULTO, na Colombia, mandando ver com seu cajado sobre seu rebanho.

Maneiro, né?

Bônus:

O pastor V.P.S. de 59 anos, foi preso no interior de Aporé, interior de Goiás, sob a acusação de que abusava sexualmente das mulheres da cidade utilizando o pretexto que teria o pênis abençoado.

“Ele nos convencia de que Deus só entraria em nossa vida pela boca e por isso nós deixávamos ele fazer o que fazia”, relata a jovem M.R., de 23 anos, que prefere não se identificar. “Muitas vezes, após os cultos, o Pastor Valdecir nos levava para um terreno nos fundos da igreja e pedia para a gente fazer oral nele até o espírito santo aparecer por meio da ejaculação”, completa a jovem desolada.

V.P., que chegou a abusar também de algumas idosas, se defende falando que teve um encontro com Jesus num bordel e que Ele lhe deu a missão de “distribuir o leite sagrado” por todo o estado, começando pelos fiéis da Assembléia de Aporé, do qual é responsável. “Vocês estão prendendo um servo do Senhor e ainda se arrependerão disso. Espero poder continuar com meu belíssimo trabalho dentro da prisão”, reluta o sacerdote.

A delegada de Polícia Civil responsável pela região, diz que V.P.. foi pego em flagrante enquanto esfregava seu membro no rosto de uma comerciante local, em que prometia ter mais vendas em seu negócio caso deixasse ser derramada pelo líquido divino. Ela ainda completa: “quando autuamos o senhor Valdecir, ele não ofereceu resistência e ainda perguntou se eu queria fazer parte do reino dos céus durante o trajeto para a delegacia. Ele não tem vergonha de tais atos e acha tudo a coisa mais normal do mundo”.

 

***

 

Bem, meus comentários sobre essa matéria são as seguintes: Putaria e religião sempre tiveram alguma coisa a ver. Com prostituição, homossexualidade, também. E acho que isso é bonito, sério mesmo. Homossexualidade tem tudo a ver com a Igreja (veja o Ratzinger). E prostituição é um trabalho digníssimo, fonte de salvação dos matrimônios conservadores.  Se não fosse a prostituição, não haveriam famílias tradicionais felizes e nós, iconoclastas, deixaríamos de existir, por mera falta do que fazer.

O que não pode é abusar. E o abuso, neste caso, é a MENTIRA. E daí, amiga, amigo, a iconoclastia vem como uma patrola. Pagar de maçãzinha para o rebanho e ficar escondendo a serpente por trás da dos panos é nojento e repulsivo, por mais que isso seja a rotina da maioria das instituições.

Tudo isso começou com a Era Vitoriana, quando a Igreja queria se opor a seu principal rival, o Império Romano.

O piçudão aí é o deus Príapo, um ancião que cuidava da luxúria bruta. E a fé sobre ele era a mesma das carolas de hoje em dia. Mas com um temperinho a mais. Temperinho se refere a esse sacolé de carne gigante e varizento aí.
O piçudão aí é o deus Príapo, importado da Grécia pelos Romanos. Era um ancião que cuidava da luxúria bruta. E a fé sobre ele era a mesma que hoje as carolas sentem por seus santos. Reparem que o sacolé de carne gigante e varizento do tio ali está numa balança, pesando mais que um pedregulho.

Os romanos não tinham nenhum problema em misturar putaria com religião. Deus fez o pau, a buceta, a cabra e a banana pra todo mundo gozar e ser gozado.
Quando a superstição do catolicismo começou a ser interessante para a esquerda apocalíptica da Igreja, então a ideia era adestrar o povo a crer numa sociedade completamente contrária àquela romana.

A era vitoriana era oposição pura! Se os deuses romanos faziam sexo, os da Igreja seriam castos.

Daí ninguém precisa ser muito genial pra imaginar que a castidade acaba gerando aberrações sexuais como os nossos amigos pastores “cajado de carne” e “porra santa”. Imagine então o que acontece quando juntamos um monte de homens a viverem juntos num monastério, sem contato com mulheres, nem jogatinas, nem um beckzito. A solução é esfolar o anel. Pois é o que acontece de fato. Com os Padres ou com os meninos.

Enfim, gente, pra resumir: A Igreja inventou o dogma da castidade por pura oposição política, essa merda pegou e agora não consegue mais se livrar dela. A bem da verdade, seria um alívio para os pastores, padres, cardeais, arcebispos, papas, monges, monjas e até mesmo para os coroinhas esfolados se esse dogma caísse duma vez. Imagine um culto onde o seu padre jorra sua água benta na frente de todos. Por Deus, muito mais honesto seria!

Este é o Kanamara Matsuri (Festival do penis de aço), comemorada em favor da fertilidade. Diz a lenda que a um demônio que viva dentro do vagina de uma mulher e mordia os pintos dos amantes dela. Mas um dia um artesão criou um pau de aço e quebrou os dentes do demônio.  Puro e sem afetações.
Este é o Kanamara Matsuri, comemorado em favor da fertilidade, no Japão. Diz a lenda que a um demônio que vivia dentro da vagina de uma mulher e mordia os pintos dos amantes dela. Mas um dia um artesão criou um pau de aço e quebrou os dentes do demônio. Puro e sem afetações.

Enquanto isso não acontece, não vamos condenar esses pastores e padres pelos seus atos. Mas sim, vamos condenar eles por suas omissões.

O que você acha disso?

comentários

Compartilha